Pesquisador do CTI é convidado para participar da construção da Carta Brasileira para Cidades Inteligentes


Imagem com o logo do projeto Carta Brasileira Cidades InteligentesO pesquisador do CTI Renato Archer, Erico Przeybilovicz, foi convidado para participar da construção da “Carta Brasileira para Cidades Inteligentes”, documento que irá propor diretrizes para a implementação de projetos de cidades inteligentes pelos municípios, bem como orientar e favorecer a articulação de políticas, programas, iniciativas e investimentos públicos.

O objetivo da Carta é consolidar uma visão nacional sobre o tema, numa perspectiva convergente de uso responsável e inovador da transformação digital para um desenvolvimento urbano sustentável e inclusivo.

A iniciativa está sendo realizada pelo Ministério do Desenvolvimento Regional, Ministério da Ciência, Tecnologia, Informação e Comunicações (MCTIC) e pelo Ministério do Meio Ambiente, por meio de um processo colaborativo no qual uma série de eventos irão reunir especialistas que estão trabalhando no desenvolvimento das Cidades Inteligentes e da transformação digital no território brasileiro. 

Dessa maneira, o pesquisador Erico Przeybilovicz, que faz parte do poli.TIC (Laboratório de Instrumentos de Política para TIC do CTI) está participando da 1ª Oficina de Trabalho Carta Brasileira para Cidades Inteligentes, evento que está sendo realizado a partir do dia 27 de agosto, em Brasília.

Além de pesquisador do CTI, Przeybilovicz, também é pesquisador do Centro de Estudos em Administração Pública e Governo da FGV. Erico foi um dos responsáveis pela pesquisa no projeto Smart Urban Governance for Sustainable Cities e é co-autor do livro ‘Smart Cities: transformação digital de cidades’ (disponível para download aqui)

Projeto poli.TIC
O Laboratório de Instrumentos de Políticas Públicas em TICs – poli.TIC, criado em 2011, tem  como vocação original a análise de melhoria de processos de software e, a  partir desta vocação, vem se desenvolvendo e especializando na construção de metodologias, automatização, implementação e   monitoramento de avaliações baseadas em processos como apoio a instrumentos de política pública  relacionadas com tecnologias da informação e comunicação e, mais recentemente, com a indústria 4.0 e Smart Cities.

Além disso, o laboratório vem promovendo o Ciclo de Palestras “Ética 4.0”, que propõe o debate sobre temas relacionados às novas tecnologias 4.0 que emergem na virada da segunda década do século XXI. Quinzenalmente, o CTI recebe convidados com experiência e renome em suas respectivas áreas para tratar de temas como inteligência artificial, big data, internet das coisas, mecanismos de participação do cidadão nas decisões que envolvem o uso de seus dados políticas públicas para as tecnologias avançadas, cidades inteligentes, mercado de trabalho, inovação e desenvolvimento econômico, entre outros, sempre considerando o cenário das tecnologias avançadas o que nos leva a pensar uma nova ética: a Ética 4.0.