CTI Renato Archer, MCTI, e Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCT) participam do 2º Encontro do Grupo de Trabalho BRICS em Fotônica

Imagem dos representantes no evento dos BRICSO pesquisador e Coordenador de Projetos e Serviços do CTI, Roberto Panepucci, participou do 2º Encontro do Grupo de Trabalho BRICS em Fotônica (BRICS Working Group on Photonics), evento  organizado pelo Instituto Skolkovo de Ciência e Tecnologia (Skolkovo Institute of Science and Technology), com o suporte do Ministério da Ciência e Ensino Superior da Rússia (Ministry of Science and Higher Education of the Russian Federation), do dia 13 a 15 de outubro 2020.

A reunião, realizada de forma on-line, contou com a participação de representantes do Governo, Setor Privado e da academia da Rússia, Índia, China, África do Sul e Brasil.

Atualmente, o CTI conta com equipes de desenvolvimento científico e tecnológico em diversas área de fotônica. Além disso, a Unidade de Pesquisa também possui laboratórios técnicos que fazem parte do Sistema Nacional de Laboratórios em Nanotecnologia (SisNANO-MCTI) e que oferecem a possibilidade do desenvolvimento de projetos de P&D, por parte de instituições externas (públicas e privadas). 

Além do CTI Renato Archer, compuseram ainda a delegação brasileira representantes das seguintes instituições: Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Fotônica – INCT/INFO, Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Fotônica para Comunicações – INCT/FOTONICOM, Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Óptica e Fotônica - INCT/INO e Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Fotônica Aplicada à Biologia Celular – INCT/INFABiC.

O BRICS é um agrupamento de países, Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, que coopera para acelerar o desenvolvimento de áreas estratégicas identificadas pelo grupo, sendo uma delas a área de Ciência, Tecnologia e Inovação. Em 2019, o Brasil exerceu a presidência de turno do BRICS, sob o mote “Crescimento Econômico para um Futuro Inovador”. Foram priorizadas iniciativas nas áreas de ciência, tecnologia e inovação, economia digital, saúde, cooperação no combate ao crime transnacional e aproximação entre os setores privados dos cinco países.

 

Fonte: MCTI