CTI Renato Archer faz homenagem póstuma ao pesquisador Alberto Elfes


elfesAlberto Elfes, pesquisador reconhecido mundialmente por seus trabalhos na área de sistemas autônomos, faleceu no dia 04 de julho em Brisbane, na Austrália. Elfes teve importante papel na história e no desenvolvimento de duas importantes áreas de atuação do CTI Renato Archer: robótica e manufatura aditiva.  Como forma de homenagem póstuma aos 45 anos de dedicação à pesquisa, à gestão de pessoas e às relações interpessoais criada por entre os laboratórios de pesquisa que Elfes trabalhou no Brasil e em diversos países, resgatamos um pouco da trajetória desse excelente pesquisador. 

Nascido em Maceió, filho de alemães, Alberto Elfes cursou Engenharia Eletrônica no Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), em 1975. Este primeiro ingresso na academia foi o passaporte para uma série de títulos e conquistas ao longo da sua carreira científica, na área da robótica e automação. Elfes tornou-se mestre em Ciência de Computação pelo ITA, em 1980, doutor em Electrical And Computer Engineering pela Carnegie Mellon University (1989) e fez o pós-doutorado pela Universidade de Ulm (2001).

Em 1994, Alberto Elfes assumiu o cargo de diretor no Instituto de Automação do CTI Renato Archer e foi oElfes com o dirigível no CTI responsável por liderar o Projeto Aurora, que teve como objetivo desenvolver um dirigível autônomo para monitoramento ambiental. O projeto, pioneiro no mundo, resultou na construção do primeiro veículo aéreo não-tripulado a alcançar voo no Brasil.  Em uma reportagem para o jornal “O Estado de São Paulo” em 2011, Elfes conta que o Aurora surgiu da necessidade de “escolher bons projetos para recuperar o entusiasmo do pessoal.  Do projeto, além da construção do dirigível, uma série de artigos e outros estudos pioneiros sobre o tema foram publicados pela equipe, fazendo com que o CTI se destacasse na área de dirigíveis autônomos na época. O crescimento da área no CTI foi tão intenso e inédito que, anos depois, sua equipe de pesquisadores da Nasa utilizavam o conhecimento gerados pelo CTI nas pesquisas do órgão norte americano.

Além da área da robótica e automação, Elfes também foi um grande incentivador da criação do primeiro laboratório de tecnologias tridimensionais do CTI, em 1999. O diretor do CTI, Jorge Silva, conta que Alberto apoiou e moveu esforços para aquisição da SLS 2000, a primeira máquina de impressão 3D adquirida pelo CTI Renato Archer. O equipamento foi o responsável pelo desenvolvimento de uma nova área de atual do CTI e por fazer com que a instituição se tornasse, até os dias de hoje, uma referência na tecnologia de impressão aditiva.

Após concluir um período de pesquisa na Universidade de Ulm, em 2001, Elfes foi convidado a integrar a equipeAlberto Elfes de pesquisadores do Jet Propulsion Lab (JPL) da Nasa. Durante os 10 anos que permaneceu na instituição, o pesquisador desenvolveu projetos e sistemas robóticos, tais como dirigíveis autônomos para missões aéreas em Vênus, Titã (um satélite de Saturno), os gigantes gasosos (Júpiter, Saturno, Urano e Netuno) e até mesmo Marte. Além disso, nos EUA o pesquisador também desenvolveu barcos robóticos - úteis para estudos oceanográficos e fluviais na Terra - e, por fim, veículos robóticos para ambientes extremamente difíceis de serem explorados como as florestas tropicais, por exemplo.

Depois de 10 anos na NASA, Elfes se mudou para Brisbane, na Austrália. Lá, até seus últimos dias, liderou o Grupo de Pesquisa em Robótica e Sistemas Autônomos (RASG) e era o responsável pela coordenação e planejamento estratégico das pesquisas do RASG.

Elfes em missão na amazôniaMesmo morando no exterior, Alberto continuou a colaborar com o desenvolvimento tecnológico de projetos de monitoramento da biodiversidade brasileira. Em 2016, o pesquisador participou de uma missão amazônica nas reservas do Instituto Mamirauá. A missão foi precursora do Projeto Providence que desenvolve tecnologias de monitoramento da biodiversidade em tempo real. Elfes era um conhecedor da Amazônia, já que anos atrás, também havia participado do Projeto Piatã, uma parceria entre o INPA e a Petrobrás para monitorar e preservar a biodiversidade brasileira. 

Em sua carreira, Alberto colecionou títulos, projetos e prêmios acadêmicos. Seu perfil no “ResearchGate” aponta que mais de 7151 pesquisadores citaram os estudos de Elfes em papers e outros trabalhos científicos. Dentre todos os seus feitos, destaca-se particularmente a criação do conceito de grade de ocupação para navegação robótica, método muito utilizado pelas gerações de roboticistas que o seguiram.

Nas mensagens abaixo, colegas de profissão e amigos homenageiam o pesquisador. As declarações mostram que, além do legado científico, o Dr. Alberto também conquistou respeito e admiração de todos pela forma amistosa, ética e amável em que tratava todos os que estavam ao seu redor.

A família de Alberto está organizando um memorial virtual que reúne mensagens, fotos e outras lembranças do pesquisador. Participe deixando sua homenagem em: https://www.gatheringus.com/memorial/alberto-elfes/4268 .

Declarações e Homenagens

“Na sua passagem pelo CTI, o Alberto reestruturou estrategicamente, agregou, dinamizou e trouxe novos desafios à área de automação, repercutindo positivamente em outros segmentos da instituição. Nacional e internacionalmente, ele é reconhecido pelas suas relevantes contribuições à robótica. Mas o que mais me ressalta – e permanece prazerosamente na lembrança e no coração, é a sua figura humana, simples, amiga e profundamente ética”. (Samuel Siqueira Bueno, pesquisador)

 

Trabalhei com o Alberto Elfes por cerca de cinco anos.  Tive a felicidade de ser seu vice-diretor no Instituto de Automação do CTI e termos longas conversas, não só de trabalho. Ele era de uma genialidade e demonstrava uma amabilidade incomparáveis. Ele teve um papel fundamental na reorientação das atividades de pesquisa do instituto quando lá chegou em meados dos anos 1990, em particular, nos grupos de robótica e desenvolvimento de produto (prototipagem rápida), uma pessoa sempre à frente do seu tempo. Deixou um legado bastante importante para a ciência, em especial para a área de robótica, com seu trabalho no CTI, na Carnegie Mellon University e no Jet Propulsion Lab (JPL) nos EUA, na Alemanha atuou como professor tendo recebido Um prêmio “Mercator Professorship Award” da German Research Foundation (DFG) e no CSIRO na Austrália. Foi uma grande referência para mim na vida pessoal e profissional, deixa muitas saudades! (Carlos Passos, pesquisador)

"O que eu sempre enxerguei no Alberto foi genialidade e visão, associada à humanidade" (Josué Ramos, pesquisador do CTI Renato Archer)

"Apesar de ser um cientista de renome internacional, cujo trabalho teve repercussões e frutos em vários países, Alberto Elfes nunca deixou de ser uma pessoa simples, generosa, cordial com todos os que o cercavam. Por onde passou, deixou ideias, estudos e desafios da Ciência que estão sendo continuados e evoluídos por diferentes grupos de pesquisa no Brasil, EUA, Austrália e em outros lugares. Vai fazer muita falta, pro Brasil e pro mundo." (Ely Carneiro, pesquisador e professor da Unicamp)

"Trabalhar com o Alberto Elfes foi um privilégio. Não somente no que se refere com o seu lado profissional como pesquisador de renome mundial que atuou em instituições internacionais de ponta. Isso é fácil verificar no seu histórico! Quero destacar aqui ‘a pessoa’ Alberto Elfes de extrema fraternidade, empatia e de grande senso de humor. Realmente um ser humano diferenciado! Quero aqui ressaltar que o meu próprio destino profissional tem muito a ver com o Alberto, quando em 1996 propus a ele que criássemos um laboratório de impressão 3D, com foco na inovação e ciência para a indústria e saúde. Ele prontamente encampou a ideia e não somente deu apoio como trabalhou conjuntamente para conseguir recursos. No final de 1997 adquirimos a primeira impressora 3D que concretou o destino de uma área no CTI e se tornou referência nacional e de atuação internacional. Obrigado Alberto por sua visão e confiança em mim depositada na época. Esteja em paz e seu legado não será esquecido." (Jorge Silva, Diretor do CTI Renato Archer)

"Fui tomada por um sentimento de grande pesar ao saber do falecimento do Dr. Alberto Elfes. Tive a honra de compartilhar com ele momentos de grande relevância na história do CTI, aos quais ele emprestou a sua competência técnica e grande visão de gestor. Mais do que isso, tive a satisfação de conviver com um ser humano singular, seja por sua cordialidade, uma marca registrada, seja por sua capacidade de ouvir, debater, traduzir, orientar e estimular grandes ideias." (Mônica Berton, Assessora Técnica do CTI Renato Archer)

"Poucas pessoas marcaram a história de minha família com uma marca que somente Deus pode produzir. Alberto foi uma dessas. De um cuidado e generosidade ímpares, ele  fazia você se sentir grande ao lado dele, como que se ele transferisse a grandeza dele para todos ao redor." (José Reginaldo Hughes de Carvalho, pesquisador da Universidade Federal do Amazonas

“Alberto Elfes era uma pessoa rara. Melhor dizendo, Alberto era uma pessoa raríssima. Ele era um pensador futurístico, um pesquisador criativo, um chefe gentil, e um mentor encorajador. Ele deixa um legado de realizações e contribuições profissionais e pessoais que transformaram as pessoas que tiveram a honra e o prazer de trabalhar com ele.” (Marcel Bergerman Pesquisador da Carnegie Mellon University)

Elfes com o dirigível no CTI

missão

Elfes

Elfes

 

Elfes

Assessoria de Imprensa do CTI Renato Archer
Cleide Elizeu - Jornalista Científica
E-mail: cleide.elizeu @cti.gov.br
Tel: (19) 3746.6038
Cel: (19) 98801.2773