CTI Renato Archer analisa proposta de cooperação binacional Brasil-China para criação de Centro de Inovação em Iluminação de Estado Sólido 


Representantes do CTI, ISA, INMETRO, MCTI em reunião No dia 21 de junho, o CTI Renato Archer reuniu instituições e associações da área da iluminação para discutir uma proposta de cooperação binacional Brasil-China para a implantação de um Centro de Inovação em Iluminação a Estado Sólido no país. A proposta apresentada pelos representantes chineses da International SSL Aliance, Ruisheng Yue e He Yang, busca fornecer equipamentos e treinamento técnico para a implantação do Centro de PD&I no CTI, em Campinas.

Para discutir a viabilidade da proposta chinesa e verificar se as condições estão de acordo com as demandas para o desenvolvimento das pesquisas do país na área e com as necessidades do mercado de iluminação brasileiro, o CTI convidou para esta apresentação representantes do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Inmetro, da Associação Brasileira da Indústria de Iluminação (Abilux) e Associação Brasileira de Fabricantes e/ou Importadores de Produtos de Iluminação (Abilumi).

A reunião foi conduzida pelos pesquisadores, Roberto Panepucci e Thebano Emílio de Almeida Santos, responsáveis pelo projeto no CTI, e também contou com a presença de representantes de áreas do Instituto que também poderão participar e colaborar com a infraestrutura e recursos humanos do possível Centro de Inovação a ser implantado.

Nas próximas semanas, o CTI irá organizar as questões levantadas pelo grupo durante a reunião para verificar a viabilidade da implantação do centro de inovação no Instituto de pesquisa. 

Iluminação de estado sólido

A iluminação de estado sólido utilizando LED’s (Diodos Emissores de Luz), está sendo considerada como uma tecnologia em ascensão para os próximos anos.  Estas lâmpadas “inteligentes” possuem capacidade de controlar propriedades básicas da luz (como a distribuição espectral, polarização e temperatura da cor), permitindo que o dispositivo se ajuste ao ambiente. Essa capacidade permitiria, por exemplo, que uma lâmpada se adapte ao ritmo circadiano do ser humano (dormir e acordar), a comunicação entre automóveis em estradas e as variações automáticas de luminosidade em plantações.  

Dessa maneira, as lâmpadas de estado sólido deverão trazer cada vez mais benefícios para áreas diversas como a medicina, o imageamento de corpos e objetos, os transportes, as comunicações e até mesmo a agricultura. (Trecho feito com base em texto do site Inovação Tecnológica)

Representantes do CTI, ISA, INMETRO, MCTI em reunião

Representantes do CTI, ISA, INMETRO, ABIMAX, ABILUX e MCTI em reunião