Controles de Privacidade no Facebook: Projeto de pesquisa de bolsista do CTI é apresentado no SBSeg


A bolsista Talita e a orientadora Marbilia ao lado do banner que foi apresentado no congressoO projeto de pesquisa “Entendimento dos controles e possíveis conflitos de privacidade nas redes sociais” desenvolvido pela bolsista PIBIC/CTI, Talita de Souza Costa, foi apresentado no WITICG do XIX Simpósio Brasileiro de Segurança da Informação e de Sistemas Computacionais – SBSeg, evento realizado na USP, em São Paulo, na semana do dia 02 de setembro.

 

A pesquisa – feito sob orientação da pesquisadora do CTI, Marbilia P. Sergio, e da pesquisadora e professora do IFSP Campinas, Regina Paiva Melo Marin - visou analisar a percepção dos usuários de uma Rede Social Online (RSO) quanto à privacidade e em especial quando do uso de TAG que pode gerar conflito. Segundo o estudo, à medida que os usuários interagem e compartilham dados, aumenta o risco de vazamento de informações, muitas vezes sem que o usuário perceba ou tenha consciência deste risco.

Ao participar de uma RSO, milhares de pessoas postam conteúdos em suas Timeline e utilizam TAGs para marcar outros usuários com diferentes preferências sobre a privacidade de seus dados. Por exemplo, o Facebook prioriza sempre a configuração do dono da publicação.

Para analisar o nível de entendimento do usuário sobre o efeito da configuração de privacidade e sua percepção quanto ao efeito dos controles de privacidade e possíveis conflitos de interesse de divulgação, o trabalho de pesquisa utilizou a metodologia Survey e aplicou um questionário de 20 perguntas em 127 usuários de RSOs.

Após a análise qualitativa das respostas, os resultados sugerem que a grande maioria dos usuários afirma ter preocupação com a privacidade, e acreditam saber usar as configurações de privacidade existentes. No entanto, 74% declararam não ter lido a política de privacidade e apenas 49% declararam saber o efeito do uso de TAG. O trabalho recomenda aos gestores dos aplicativos a adoção de regras mais igualitárias e uma maior divulgação e esclarecimento sobre a exposição das informações dos usuários.