Doutor, mestre, engenheiro com 30 anos de experiência, professor no curso de Doutorado em Administração da FACCAMP, tem mais de 50 publicações entre livros, congressos e artigos em revistas científicas, entre outras formações: Esse é o curriculo do maior especialista em People Analytics no cenário mundial, Marco Antonio Silveira.

Um homem prático e atualizado, que está trabalhando intensamente para mudar a visão de RH do século XXI, Marco A. Silveira tem se destacado ao ensinar em turmas abertas a nível nacional a respeito das inúmeras utilizações do People Analytics, mudando o dia-a-dia de empresas, entidades e órgãos públicos.

Confira a entrevista exclusiva com Marco e entenda como o seu trabalho voltado para o People Analytics está mudando radicalmente a área de gestão de capital humano:

O que é  People Analytics e como isto mudará o RH nos próximos anos?

People Analytics é um conjunto de métodos e conhecimentos visando quantificar os impactos do capital humano nos negócios.

Ele irá mudar radicalmente o RH, tornando-a em breve uma das 3 áreas estratégicas da empresa, ao lado das áreas Financeira e de Mercado.

Conte um pouco da história do People Analytics. Como, quando e onde nasceu, criado por qual empresa, que benefícios foram obtidos, tipo de respostas, transtornos, como e quando se disseminou para o mundo e no Brasil em particular etc.

Vários pesquisadores trabalham com isso alguns anos, como nós aqui no Brasil que desde 2005 estamos estudando como fazer modelagem matemática dos efeitos do capital humano nas inovações e na geração de conhecimento.

Um diretor da INTEGRARE esteve em 2016 na King´s College Business School com o Dr. Martin Edwards, reconhecido como o maior especialista europeu nessa área. O Dr. Edwards ficou impressionado com o nosso trabalho, tendo mencionado que estamos em um estágio mais avançado que eles.

Mas, internacionalmente, um caso que ficou famoso foi da empresa Google ao aplicar o People Analytics para melhorar seu processo de recrutamento e seleção de novos colaboradores.

Para que serve o People Analytics e como afeta as empresas e afetará nos próximos anos?

O People Analytics pode ser aplicado tanto para melhorar os processos do RH (R&S, T&D, engajamento, retenção, SST, avaliação etc), como para medir os impactos das pessoas no desempenho de processos e do negócio como um todo, em custos, produtividade, tempo e inovação.

Como hoje as empresas desconhecem completamente os efeitos do capital humano, trata-se de um grande divisor de águas, que aumentará substancialmente o desempenho das empresas com capacidade de entender o que está acontecendo, e saírem na frente das demais.

Aos poucos as retardatárias serão obrigadas a seguir o mesmo caminho. Será um fenômeno semelhante ao que aconteceu com o uso de ferramentas analíticas para análise de mercado (BI, CRM etc): quem saiu na frente ganhou muito dinheiro. Hoje, todas que quiserem ter um nível mínimo de competitividade, são obrigadas a ter.

Que tipo de benefícios o People Analytics proporciona à empresa? Que resultados concretos? Sabe de algum case famoso? Por que a empresa precisa ter People Analytics?

Caso famosos são da Googles (processo de R&S), banco Credit Suisse (retenção de talentos).

A INTEGRARE já tem diversos casos desenvolvidos no Brasil. Um caso público nosso, que até já está no Youtube, foi em 2015 na empresa DPaschoal.

Atualmente estamos trabalhando com várias empresas. Em um banco de investimentos estamos aplicando o People Analytics para retenção de talentos, na melhoria dos processos de R&S e para minimizar processos trabalhistas. Na empresa RECCO Lingerie, um fabricante muito interessante do Paraná que abriu oito lojas prórpias no estado de São Paulo, estamos trabalhando para aumentar a lucratividade dessas lojas através da melhoria nos aspectos humanos. Estamos iniciando também um trabalho na EMBRAPA Informática, visando estudar os impactos da cooperação e do presenteísmo no desempenho das empresas.

Isso confirma a opinião do Dr Martin Edwards de que estamos bem à frente do restante do mundo: nossos casos são mais complexos do que esses cases internacionais, onde o People Analytics fica restrito à melhorar os processo de RH. O que não é pouco, pelo contrário. Mas o People Analytics tem potencial para muito mais, como estamos demonstrando na prática.

Por que implantar o People Analytics? O tempo de implantação é variável? Qual a sua importância? É uma ferramenta só para grandes empresas ou também para pequenas e médias?

A empresa pode implantar o People Analytics tanto para melhorar o desempenho de processo de RH, como para melhorar o desempenho de qualquer outro aspecto da empresa. As aplicações são muitas.

O tempo para implantação depende de diversos fatores: o estágio da empresa em relação às métricas de pessoas, o porte da empresa e o escopo da aplicação. O People Analytics é aplicável à toda empresa, independente do seu porte ou segmento de atuação.

O que dá certo e o que dá errado ao usar People Analytics? Que tipo de armadilhas evitar? Que armadilhas traz ou pode trazer o People Analytics?

O uso competente do People Analytics só traz benefícios, uma vez que “ilumina” a dimensão humana, esta grande desconhecida das empresas e de seus gestores.

As armadilhas a se evitar são as mesmas de sempre: evitar os “falsos profetas”. Eu atuo no mercado há 30 anos e tenho certeza que se repetirá o que já vi acontecer algumas vezes: quando o mercado despertar, começará a “brotar especialistas” na área; são os aproveitadores de sempre.

As empresas devem ter muito cuidado com isso pois, pior do que não ter uma informação, é ter uma informação errada.

Ser competente em People Analytics requer um conjunto integrado de conhecimentos, sendo os mais importantes um bom domínio de estratégia, métodos analíticos, sistemas de informação, processos de RH e gestão de pessoas. O indicado é sempre trabalhar com uma equipe multidisciplinar.

Que tipo de análise preditiva é possível fazer valendo-se de People Analytics?

Em principio qualquer análise preditiva é possível.

A aplicação preditiva que mais temos sido demandados é calcular ROI em treinamento e desenvolvimento de pessoas. Mas temos casos também de aplicações preditivas para estimar risco de processos trabalhistas e em processos de R&S.

No ano passado, como forma de popularizar o People Analytics e suas potencialidades, usamos a nossa ferramenta SIMULA para prever quantas medalhas o Brasil iria ganhar na Olimpiada Rio-16. Isso foi publicado em junho no nosso site e Facebook, e foi sendo acompanhado pelos clientes e amigos. O resultado foi sensacional: conseguimos cravar o resultado! (calculamos 20 medalhas, e o Brasil ganhou 19).