Coordenadora do CNRTA e o secretário Alvaro Prata participam do Fórum Nacional de Tecnologia Assistiva

Evento foi promovido pelo MCTIC em Brasília


Da esquerda para a direita: Sonia Costa, diretora do Departamento de Políticas e Programas para Inclusão Social do MCTIC; Regina M T Colombo, coordenadora do CNRTA; e, Kátia Ferraz, coordenadora da Rede Mineira de Tecnologia Assistiva.Aconteceu em Brasília, nos dias 3 a 5 de dezembro de 2018, o Fórum Nacional de Tecnologia Assistiva, organizado pela Secretaria de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento (SEPED) do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Secretaria Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência do Ministério dos Direitos Humanos (MDH), em parceria com o Comitê Interministerial de Tecnologia Assistiva (CITA), Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

O evento teve como objetivo reunir usuários, pesquisadores, prestadores de serviços, fornecedores de TA, setor industrial e formuladores de políticas públicas visando formar e informar sobre os principais resultados alcançados com os projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação em Tecnologia (PD&I-TA) direcionada às pessoas com deficiência, com limitação funcional  e mobilidade reduzida.

De acordo com os organizadores, participaram cerca de 200 pessoas de ao menos 110 instituições de pesquisa científicas e tecnológicas em Tecnologia Assistiva de todo país.

Grande parte dos projetos apresentados foram incentivados por meio de editais públicos das agências de fomento brasileiras, como a CAPES, CNPq e FINEP.

Para Regina Maria Thienne Colombo, coordenadora do Centro Nacional de Referência em Tecnologia Assistiva, essa interação permitida pelo contato presencial é sempre desejada.

Ela garante que a aproximação de diversos atores é fundamental para a interface com os projetos e acima disso - para que em conjunto com os representantes dos usuários possamos atender melhor a sua real necessidade com pesquisas colaborativas que permitam novos recursos, metodologias, produtos e serviços -  voltado a autonomia e independência das pessoas com deficiência e idosos - que tende a crescer com o aumento da expectativa de vida no mundo e no Brasil.

A expectativa é de que o atual balanço dos resultados alcançados pela pesquisa de tecnologia assistiva sejam disponibilizadas ao público e ao novo governo para o planejamento de políticas públicas eficazes e eficientes para o desenvolvimento da produção nacional e dessa área de conhecimento no país.


Confira as informações:

Programação completa do Fórum de Tecnologia Assistiva. Brasília-DF, de 3 a 5 de dezembro de 2018

Outras matérias destacadas sobre o evento

Moção de apelo para a manutenção dos investimentos em inovação de TA. Assine o abaixo assinado digital produzido pelos participantes do Fórum