Editais e Concursos     Editais CTI-Tec     Últimas Notícias     Eventos     Boletins anteriores  Gestão      Leis e decretos     Relatórios de Gestão  Sobre      Sobre o CTI     Organograma     Projetos     Portarias CTI   Acesso à Informação

Publicado: Sexta, 08 de Julho de 2016, 15h47

Pesquisador Roque Eduardo Cruz representou o CNRTA no evento

No último dia 18 de maio aconteceu o Multialogo 2016, evento do Fórum Paulista de Entidades, para a divulgação dos relatórios da pesquisa sobre as entidades participantes do Fórum. O pesquisador do Centro Nacional de Referência em Tecnologia Assistiva (CNRTA), Roque Eduardo Cruz, participou do evento e teve ciência dos resultados da pesquisa.

O evento aconteceu no SESC Jundiaí e foi organizado pelas entidades e seus representantes APAE-SP (Anna Beatriz); DERDIC (Maria Cecília); DORINA NOWILL (Adermir Ramos); e LARAMARA (Beto Pereira, também coordenador do Fórum), e contou com a participação de mais de 65 entidades do Estado de São Paulo, que trabalham com pessoas com deficiência.

A abertura do evento contou com o representante da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência (SEDPCD) do Governo do Estado de São Paulo, Marco Antonio Pellegrini; com a presidente do Conselho Estadual para Assuntos da Pessoa com Deficiência de São Paulo (CEAPcD), Maria Helena Mozena; o Coordenador dos Direitos da Pessoa com Deficiência da Prefeitura de Jundiaí, Alcebíades Júnior; e a Gerente de Educação para Sustentabilidade e Cidadania do SESC-SP, Maria Alice.

O relatório apresentado sobre as condições de trabalho das entidades que compõem o Fórum foi resultado da pesquisa elaborada pela Editora Paulus. Aspectos como ano de fundação, tipo de vínculo dos colaboradores, certificados de interesse público, trabalho de articulação em rede foram algumas perguntas abordadas na pesquisa.

A pesquisa trouxe dados relevantes como: a maioria das entidades possuem certificados de reconhecimento de utilidade pública e que falta o trabalho de articulação em rede das entidades. Em resumo, a pesquisa apontou a maturidade das entidades e o trabalho de atendimento multifacetado às pessoas com deficiência.