Tecnologia 3D desenvolvida no CTI auxilia cirurgia de alta complexidade

 

A cirurgia desta terça-feira (11/07) deverá ser mais rápida em virtude do uso da tecnologia 3D que é uma parceria do Hospital das Clínicas da UFPE com o Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer.


 

Serviço de Cirurgia Plástica durante intervenção cirúrgica (Crédito: Passarinho/ Ascom UFPE)

A cirurgia será auxiliada pela prototipagem 3D através de uma parceria entre o Hospital das Clínicas da UFPE e Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer. O software Invesalius, que dá suporte ao procedimento, é um software livre para reconstrução de imagens provindas de equipamentos de tomografia computadorizada ou ressonância magnética.
 
O Hospital das Clínicas da UFPE, unidade vinculada à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), volta a realizar uma cirurgia de reconstrução da mandíbula, na próxima terça-feira (11). O procedimento microcirúrgico de alta complexidade durar cerca de 8 horas e assistido pelo cirurgião plástico, Marco Maricevich, o qual tem larga experiência nesse tipo de procedimento e passará seus conhecimentos para a equipe do HC (profissionais das cirurgias plástica, vascular, de cabeça e pescoço, além de anestesiologistas e equipe de apoio). 
 
A cirurgia consistirá no transplante da fíbula (um dos ossos da perna) para moldá-la e adaptá-la para desempenhar a função da mandíbula. De acordo com o HC, foi realizada uma tomografia da face e outra da perna esquerda da paciente (de onde será retirada a fíbula) e por meio de um software foi gerada uma impressão 3D no tamanho certo que vai servir de protótipo para a adaptação do osso. Desta forma, haverá a redução do tempo de cirurgia de aproximadamente uma hora e meia.
 
Fonte: ebserh.gov.br